Arquivo da categoria: Inicial

Brasil é o 2º país que mais perdeu dinheiro com cibercrimes em 2017

Estudo revela que 61% da população adulta conectada, cerca de 62 milhões de brasileiros, foram afetados, totalizando US$ 22 bilhões em perdas; somente a China ficou na frente
Cibercrime - Perda de Dinheiro
Cibercrime – Perda de Dinheiro

Os consumidores acreditam estar seguros e protegidos online, porém os hackers têm provado o contrário, roubando US$ 172 bilhões de 978 milhões de consumidores em 20 países no último ano, de acordo com o Norton Cyber Security Insights Report 2017, divulgado pela Norton by Symantec.

O Brasil possui números alarmantes: é o segundo país que mais perdeu financeiramente com ataques cibernéticos, atrás apenas da China, e o país em que mais crianças sofrem com bullying, na mesma posição que a Índia. Em 2017, cerca de 62 milhões de brasileiros foram vítimas de cibercrime, o que representa 61% da população adulta conectada do país. As perdas totalizaram US$ 22 bilhões sendo que cada vítima perdeu uma média 34 horas com as consequências dos ataques.

De um modo geral, as vítimas do cibercrime compartilham um perfil semelhante: são entusiastas de tecnologia que se cercam de dispositivos mobile tanto em casa como fora dela, mas têm um ponto cego quando se trata de princípios de segurança cibernética. Este grupo tende a usar a mesma senha em várias contas ou compartilhá-la com outras pessoas. Entre as vítimas de crimes cibernéticos, 84% foram afetadas nos últimos 12 meses. Os Millennials são as vítimas mais frequentes, sendo que 26% deles não possuem nenhum método de proteção em pelo menos um dispositivo e eles são mais propensos a compartilhar a senha.

“As ações dos consumidores revelaram perigosa desconexão: apesar de um fluxo constante de falhas cibernéticas relatadas pela mídia, muitas pessoas parecem se sentir invencíveis e ignorar a tomada de precauções básicas para se proteger”, afirma Nelson Barbosa, especialista de segurança Symantec. “Esta interrupção destaca a necessidade de segurança digital do consumidor e a urgência de das pessoas voltarem ao básico quando se trata de fazer sua parte para prevenir o cibercrime” completa o executivo.

Erros básicos com senha

Entre os entrevistados brasileiros, 59% compartilha as senhas, 34% escreve a informação em um pedaço de papel e 24% usa a mesma senha para todas as contas. As senhas mais compartilhadas são as dos dispositivos conectados domésticos (38%), seguida de desktops (37%) e laptops (36%).

Embora 83% dos entrevistados se preocupa que informações sobre dados bancários sejam roubadas, 18% compartilham a senha online de sua conta bancária com outra pessoa.

Vulnerabilidade do consumidor

Proteção contra ameaças maliciosas é a maior preocupação sobre segurança online no Brasil, enquanto proteção de identidade e privacidade ocupam o segundo lugar. Para se proteger, a maioria dos consumidores possui algum tipo de segurança, mas 19% não possui nenhum método de proteção em seus dispositivos.

O dispositivo móvel é utilizado por 8 em cada 10 entrevistados para compra online, mas 72% acreditam que esta atividade possui um risco moderado. Outro ponto que possui risco moderado de acordo com a pesquisa é o wi-fi público, sendo indicado por 87% das pessoas.

Crenças do consumidor

Entre os entrevistados, 83% acreditam que o crime cibernético deveria ser considerado um ato criminoso. Entretanto, alguns comportamentos questionáveis são consideráveis aceitáveis, como ler os e-mails de outra pessoa sem consentimento (25%), compartilhar informações falsas nas redes sociais (19%) e se identificar com identidade falsa (22%).

Fonte: Security Report


Leituras sugeridas:

Guia Internet Segura – Possui dicas para que as crianças possam aprender de forma divertida a se proteger. Nele você encontra caça-palavras, jogo da memória, dominó, labirinto;

Guia Internet Segura – para seus filhos – material complementar com dicas e sugestões para que pais e responsáveis possam orientar seus filhos a usar a Internet com mais segurança e aproveitar ainda mais todas as oportunidades que ela tem a oferecer.

DTIC divulga dados do serviço terceirizado de reprografia referente ao ano 2017

A Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) divulga dados do serviço terceirizado de reprografia (cópia e impressão) referente ao ano 2017, além de um comparativo com o ano 2016.

Referência:
P/B I: Impressão monocromática da impressora modelo RICOH Aficio SP 5200S ou RICOH Aficio SP 5200SF
P/B II: Impressão monocromática da impressora modelo RICOH MP C2003
COLOR: Impressão colorida da impressora modelo RICOH MP C2003
P/B III: Impressão monocromática da impressora modelo RICOH Aficio MP 201 ou RICOH Aficio MP 301

*Os valores são aproximados e calculados com base em relatórios de contadores que não foram relacionados com o setor financeiro.


Páginas – 2017

Custos – 2017

Páginas – 2017

Custos – 2017

Comparativo P/B I – 2016 -2017 – Páginas

Comparativo P/B I – 2016 -2017 – Custos

Comparativo P/B II – 2016 -2017 – Páginas

 


Comparativo P/B II – 2016 -2017 – Custos

 

Comparativo COLOR – 2016 -2017 – Páginas

Comparativo COLOR – 2016 -2017 – Custos

Comparativo P/B III – 2016 -2017 – Páginas

Comparativo P/B III – 2016 -2017 – Custos

Fonte dos dados: Contadores mensais e encaminhados pelos Setores de Tecnologia da Informação e Comunicação (STIC).

DTIC divulga relatório referente a economia utilizando o sistema VoIP no período de 2017

A Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) divulga o relatório referente a economia utilizando o sistema VoIP no período de 2017.

Entende-se como economia, as ligações entre ramais de unidades diferentes e ligações efetuadas através do sistema fone@RNP, não sendo necessário o uso de linhas telefônicas.

*Os valores são aproximados, calculados com base nos valores de contrato e sem impostos.

Estatísticas de Economia - Sistema VoIP UNIPAMPA - 2017
Estatísticas de Economia – Sistema VoIP UNIPAMPA – 2017

Fonte dos relatórios: https://cusco.unipampa.edu.br/relatorios/geraRelatorios

Segurança na Internet

Segurança na Internet - CERT.br/NIC.br
Segurança na Internet – CERT.br/NIC.br

A Internet já está presente no cotidiano de grande parte da população e, provavelmente para estas pessoas, seria muito difícil imaginar como seria a vida sem poder usufruir das diversas facilidades e oportunidades trazidas por esta tecnologia. Por meio da Internet você pode:

  • encontrar antigos amigos, fazer novas amizades, encontrar pessoas que compartilham seus gostos e manter contato com amigos e familiares distantes;
  • acessar sites de notícias e de esportes, participar de cursos à distância, pesquisar assuntos de interesse e tirar dúvidas em listas de discussão;
  • efetuar serviços bancários, como transferências, pagamentos de contas e verificação de extratos;
  • fazer compras em supermercados e em lojas de comércio eletrônico, pesquisar preços e verificar a opinião de outras pessoas sobre os produtos ou serviços ofertados por uma determinada loja;
  • acessar sites dedicados a brincadeiras, passatempos e histórias em quadrinhos, além de grande variedade de jogos, para as mais diversas faixas etárias;
  • enviar a sua declaração de Imposto de Renda, emitir boletim de ocorrência, consultar os pontos em sua carteira de habilitação e agendar a emissão de passaporte;
  • consultar a programação das salas de cinema, verificar a agenda de espetáculos teatrais, exposições e shows e adquirir seus ingressos antecipadamente;
  • consultar acervos de museus e sites dedicados à obra de grandes artistas, onde é possível conhecer a biografia e as técnicas empregadas por cada um.

Estes são apenas alguns exemplos de como você pode utilizar a Internet para facilitar e melhorar a sua vida. Aproveitar esses benefícios de forma segura, entretanto, requer que alguns cuidados sejam tomados e, para isto, é importante que você esteja informado dos riscos aos quais está exposto para que possa tomar as medidas preventivas necessárias. Alguns destes riscos são:

Acesso a conteúdos impróprios ou ofensivos: ao navegar você pode se deparar com páginas que contenham pornografia, que atentem contra a honra ou que incitem o ódio e o racismo.

Contato com pessoas mal-intencionadas: existem pessoas que se aproveitam da falsa sensação de anonimato da Internet para aplicar golpes, tentar se passar por outras pessoas e cometer crimes como, por exemplo, estelionato, pornografia infantil e sequestro.

Furto de identidade: assim como você pode ter contato direto com impostores, também pode ocorrer de alguém tentar se passar por você e executar ações em seu nome, levando outras pessoas a acreditarem que estão se relacionando com você, e colocando em risco a sua imagem ou reputação.

Furto e perda de dados: os dados presentes em seus equipamentos conectados à Internet podem ser furtados e apagados, pela ação de ladrões, atacantes e códigos maliciosos.

Invasão de privacidade: a divulgação de informações pessoais pode comprometer a sua privacidade, de seus amigos e familiares e, mesmo que você restrinja o acesso, não há como controlar que elas não serão repassadas. Além disto, os sites costumam ter políticas próprias de privacidade e podem alterá-las sem aviso prévio, tornando público aquilo que antes era privado.

Divulgação de boatos: as informações na Internet podem se propagar rapidamente e atingir um grande número de pessoas em curto período de tempo. Enquanto isto pode ser desejável em certos casos, também pode ser usado para a divulgação de informações falsas, que podem gerar pânico e prejudicar pessoas e empresas.

Dificuldade de exclusão: aquilo que é divulgado na Internet nem sempre pode ser totalmente excluído ou ter o acesso controlado. Uma opinião dada em um momento de impulso pode ficar acessível por tempo indeterminado e pode, de alguma forma, ser usada contra você e acessada por diferentes pessoas, desde seus familiares até seus chefes.

Dificuldade de detectar e expressar sentimentos: quando você se comunica via Internet não há como observar as expressões faciais ou o tom da voz das outras pessoas, assim como elas não podem observar você (a não ser que vocês estejam utilizando webcams e microfones). Isto pode dificultar a percepção do risco, gerar mal-entendido e interpretação dúbia.

Dificuldade de manter sigilo: no seu dia a dia é possível ter uma conversa confidencial com alguém e tomar cuidados para que ninguém mais tenha acesso ao que está sendo dito. Na Internet, caso não sejam tomados os devidos cuidados, as informações podem trafegar ou ficar armazenadas de forma que outras pessoas tenham acesso ao conteúdo.

Uso excessivo: o uso desmedido da Internet, assim como de outras tecnologias, pode colocar em risco a sua saúde física, diminuir a sua produtividade e afetar a sua vida social ou profissional.

Plágio e violação de direitos autorais: a cópia, alteração ou distribuição não autorizada de conteúdos e materiais protegidos pode contrariar a lei de direitos autorais e resultar em problemas jurídicos e em perdas financeiras.

Outro grande risco relacionado ao uso da Internet é o de você achar que não corre riscos, pois supõe que ninguém tem interesse em utilizar o seu computador1 ou que, entre os diversos computadores conectados à Internet, o seu dificilmente será localizado. É justamente este tipo de pensamento que é explorado pelos atacantes, pois, ao se sentir seguro, você pode achar que não precisa se prevenir.

Esta ilusão, infelizmente, costuma terminar quando os primeiros problemas começam a acontecer. Muitas vezes os atacantes estão interessados em conseguir acesso a grandes quantidades de computadores, independente de quais são, e para isto, podem efetuar varreduras na rede e localizar grande parte dos computadores conectados à Internet, inclusive o seu.

Um problema de segurança em seu computador pode torná-lo indisponível e colocar em risco a confidencialidade e a integridade dos dados nele armazenados. Além disto, ao ser comprometido, seu computador pode ser usado para a prática de atividades maliciosas como, por exemplo, servir de repositório para dados fraudulentos, lançar ataques contra outros computadores (e assim esconder a real identidade e localização do atacante), propagar códigos maliciosos e disseminar spam.

Os principais riscos relacionados ao uso da Internet são detalhados nos Capítulos: Golpes na Internet, Ataques na Internet, Códigos Maliciosos (Malware), Spam e Outros riscos.

O primeiro passo para se prevenir dos riscos relacionados ao uso da Internet é estar ciente de que ela não tem nada de “virtual”. Tudo o que ocorre ou é realizado por meio da Internet é real: os dados são reais e as empresas e pessoas com quem você interage são as mesmas que estão fora dela. Desta forma, os riscos aos quais você está exposto ao usá-la são os mesmos presentes no seu dia a dia e os golpes que são aplicados por meio dela são similares àqueles que ocorrem na rua ou por telefone.

É preciso, portanto, que você leve para a Internet os mesmos cuidados e as mesmas preocupações que você tem no seu dia a dia, como por exemplo: visitar apenas lojas confiáveis, não deixar públicos dados sensíveis, ficar atento quando “for ao banco” ou “fizer compras”, não passar informações a estranhos, não deixar a porta da sua casa aberta, etc.

Para tentar reduzir os riscos e se proteger é importante que você adote uma postura preventiva e que a atenção com a segurança seja um hábito incorporado à sua rotina, independente de questões como local, tecnologia ou meio utilizado. Para ajudá-lo nisto, há diversos mecanismos de segurança que você pode usar e que são detalhados nos Capítulos: Mecanismos de segurança, Contas e senhas e Criptografia.

Outros cuidados, relativos ao uso da Internet, como aqueles que você deve tomar para manter a sua privacidade e ao utilizar redes e dispositivos móveis, são detalhados nos demais Capítulos: Uso seguro da Internet, Privacidade, Segurança de computadores, Segurança de redes e Segurança em dispositivos móveis.

[1] Nesta Cartilha a palavra “computador” será usada para se referir a todos os dispositivos computacionais passíveis de invasão e/ou de infecção por códigos maliciosos, como computadores e dispositivos móveis.

 

Fonte: Cartilha de Segurança para a Internet – Segurança na Internet


Outras leituras sugeridas:

Guia Internet Segura – Possui dicas para que as crianças possam aprender de forma divertida a se proteger. Nele você encontra caça-palavras, jogo da memória, dominó, labirinto;

Guia Internet Segura – para seus filhos – material complementar com dicas e sugestões para que pais e responsáveis possam orientar seus filhos a usar a Internet com mais segurança e aproveitar ainda mais todas as oportunidades que ela tem a oferecer.

DTIC publica nível de disponibilidade de seus principais serviços e conexões

A Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) divulga para a comunidade o nível de disponibilidade de seus principais serviços e conexões de internet, sendo a conexão principal provida pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e a secundária (MPLS) pela empresa Avato.

A definição dos principais serviços foi estimada em relação aos que mais impactam nas atividades do dia a dia da comunidade acadêmica. Ainda se considera que a disponibilidade aceitável é o resultado de uma definição técnica interna, cujo objetivo final é determinar a continuidade de serviços institucionais sem gerar prejuízo significativo, em casos de paradas não programadas. Por fim, a disponibilidade das conexões está atrelada aos contratos vigentes e estimados juntos à RNP e Avato.


SLA - Acordo de Nível de Serviço
SLA – Acordo de Nível de Serviço
  • A definição dos serviços e de sua disponibilidade aceitável poderão sofrer alterações sem prévio aviso, oriundas de estudos ou de acordos internos (tratativas) com demais setores institucionais.
  • Veja a disponibilidade de serviços e conexões pela página SLA – Acordo de Nível de Serviço.

DTIC disponibiliza aplicativo para o 9º SIEPE e melhorias no módulo de eventos

A Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC) disponibilizou na última terça-feira, 14/11, um aplicativo móvel (app) para o 9º Salão Internacional de Ensino Pesquisa e Extensão (SIEPE). O aplicativo possui as seguintes funcionalidades:

– Visualização do mapa do evento;
– Visualização do resumo dos trabalhos, com filtros de pesquisa;
– Visualização da programação do evento.

O aplicativo está disponível para plataforma Android – versão 4.1 ou superior, e pode ser baixado diretamente na Google Play Store (https://play.google.com/store/apps/details?id=br.edu.unipampa.eventos.siepe9). O aplicativo funciona através de comunicação online com o sistema GURI (Gestão Unificada de Recursos Institucionais). Dessa forma, o dispositivo móvel do usuário deve estar conectado à internet para acessar as funcionalidades do app.

Também foram disponibilizadas novas funcionalidades para o módulo de eventos do sistema GURI, tais como:

– Controle presencial em palestras, minicursos e oficinas, onde é possível a organização do evento, através de check-in/check-out, comprovar o comparecimento de um participante nestes eventos como também o tempo de participação;
– Montagem da grade de programação, onde é possível o participante definir uma programação personalizada, escolhendo as atividades do evento que deseja frequentar.

O módulo de eventos do GURI é utilizado na UNIPAMPA desde o 5º SIEPE (2013), evoluindo a cada edição deste evento. Além do SIEPE, o módulo também já foi utilizado para gerenciar outros 10 eventos promovidos pela UNIPAMPA.

O 9º SIEPE ocorre de 21 a 23/11 em Santana do Livramento-RS. Maiores detalhes podem ser encontrados na página do evento (https://eventos.unipampa.edu.br/siepe/)